domingo, 11 de dezembro de 2011

Lúcio Flávio, o Passageiro da Agonia



Lembro-me perfeitamente quando esse filme passou na TV ainda nos anos 80, da minha mãe falando que conheceu o Lúcio Flávio ainda na adolescência e que certo dia ele se virou para as pessoas mais próximas dizendo que ia sumir sem dar maiores explicações. Todos estranharam tal comportamento porém ninguém imaginou que futuramente aquele menino de olhos claros estaria presente inúmeras vezes nos noticiários policiais apontado como um dos maiores criminosos do país naquela época.


Recentemente tive a oportunidade de assistir Lúcio Flávio, o Passageiro da Agonia (1977) gravado do Canal Brasil e gostei muito do filme que é dirigido pelo grande Hector Babenco. Esse é apenas o segundo filme do Babenco que vejo. O primeiro foi Carandiru.


A obra mostra os vários assaltos a banco perpetrados pela gangue de Lúcio Flávio (Reginaldo Faria) e o envolvimento de policiais corruptos nessas ações. Nessa época ficou conhecido um grupo chamado Esquadrão da Morte, que trabalhava á margem da lei e que foi desmascarado pelo própio Lúcio um pouco antes da sua morte. No filme, os nomes dos policiais são fictícios.


Com uma direção firme e um roteiro baseado no livro homônimo de José Louzeiro, o filme conta com atuações impecáveis de Reginaldo Faria, Milton Gonçalvez, Ivan Cândido e Ivan de Almeida além de partcipações pra lá de especiais de Grande Otelo, Stepan Nercessian, Paulo César Pereio, Lady Francisco e Ana Maria Magalhães.


Um belo exemplar do nosso cinema que denuncia a sujeira nas instituições desde tempos longínquos. Nota 8.

8 comentários:

  1. Ótima postagem, Bruno. Não conhecia esse filme. A ideia da corrupção na polícia é dos tempos do dinossauro, né? Valeu mesmo pela dica. Um abraço...

    ResponderExcluir
  2. Maxwell, esse filme é muito bom. Me surpreendeu a ponto de querer ver outros filmes do Babenco. Vale a pena a conferida.
    A corrupção infelizmente está fincada muito tempo, seja na política ou nas instituições que deveríamos confiar. Vemos nos noticiários e nem ficamos tão surpresos assim. E isso também é um grande problema.
    Obrigado pela visita Maxwell. Teu blog é mucho bacana hein.

    ResponderExcluir
  3. Que bacana... voltei no tempo! Nunca assisti o filme, mas já li o livro! Já tive a oportunidade de assisti-lo, ainda na época do VHS... mas, nem me lembro que zica aconteceu que eu não consegui ver.

    Gostei de seu blog. Encontrei-o através do Sublime Irrealidade, de meu amigo José Bruno.

    Abç JoicySorciere - Blog Umas e outras...

    ResponderExcluir
  4. Brunão, os leitorres do meu blog tão tds migrando para o seu...hehhee... Esse filme é sensacional! Tb gosto bastante, grande atuação de Farias, tenho saudades de filmes sinceros como esse no cinema nacional de hj. Grande resenha e otima lembrança, deu até vontade de rever...hehehe

    Abração meu amigão!

    ResponderExcluir
  5. Um dos melhores filmes policiais brasileiros, tem um ritmo ágil, história baseada num personagem real e como você bem citou, mostra a corrupção nas nossas instituições.

    Além do papel de Lúcio Flávio, Reginaldo Faria ainda trabalhou em outros dois grandes filmes nacionais, o drama político "Prá Frente Brasil" e o clássico "Assalto ao Trem Pagador". Ele tinha carisma para segurar um filme, pena que privilegiou sua carreira em novelas.

    Abraço

    ResponderExcluir
  6. Um colega de trabalha me fala deste filme quase todos os dias, cheguei a pensar em não vê-lo apenas por birra, rsrsrs Também conheço pouco da filmografia de Babenco, assisti Carandiru no cinema e até achei legalzinho, mas depois fui percebendo o desastre que era... Tenho uma curiosidade enorme de assistir "O Beijo da Mulher Aranha" e tentarei assistir este...
    .
    Fico feliz que o Sublime Irrealidade esteja sendo um canal para que amigos possam encontrar teu Blog, tenho o prazer de indicá-lo na minha seção "Pela Estrada de Tijolos Amarelos", ele é ótimo!

    ResponderExcluir
  7. Joicy muito obrigado pela presença no meu blog. Seja bem vinda. Teu blog é muito bacana e teu post sobre sua relação com a literatura é lindo. Não deixe de assistir esse filme. Um dos grandes do nosso cinema com certeza.

    Celão to pegando um pouquinho emprestado os seus leitores... hehehehe...
    O filme pode até crescer em uma revisão. Achei melhor que Carandiru. Abraço amigão.

    Hugo que bom rever seus comentários por aqui. Volte sempre. Não conheço muito a carreira do Farias no cinema. Como vc disse ele hj é mais conhecido pels atuações nas novelas.
    Grande abraço.

    J. Bruno, o teu post (assim como o da Joicy) foi tocante e realmente um primor. Obrigado por colocar meu blog no caminho da Doroty..hehehehe Teu blog é de extremo bom gosto e a recíproca é verdadeira.
    O bacana desses espaços é justamente compartilhar os efeitos que uma bela obra (filmes,livros,músicas,etc...) causam na gente. E graças ao teu blog, do meu amigo Celo,etc... muitas pessoas tem visitado o meu blog.
    Valeu pela força de sempre.
    Teu colega de trabalho tá com a razão. Esse é um bom filme que merece um maior reconhecimento. Não deixe de assistir.
    Obrigado pela visita J. Bruno. Volte sempre.

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir